Enquanto o secretário da Segurança Pública, Luiz Fernando Delazari, se mantém calado diante da revolta dos oficiais da Polícia Militar, policiais civis também começam a mostrar descontentamento, principalmente no que diz respeito à aplicação das normas do Estatuto da Polícia Civil.

Delazari estaria passando por cima do estatuto, nomeando delegados antigos para cargos que deveriam ser ocupados por quem está iniciando a carreira e colocando amigos em postos de destaque.

Esperava-se que, ontem, a secretaria emitisse alguma resposta em relação à nota de repúdio feita à decisão do secretário de afastar dois comandantes da PM. Entretanto, a secretaria e o comando-geral da PM afirmaram apenas que não irão se manifestar sobre o assunto.

Durante todo o dia, os ânimos continuaram exaltados e boatos davam conta da possibilidade de uma manifestação por parte dos oficiais da corporação, porém os rumores não se confirmaram.

Autonomia

Os PMs estão indignados porque Delazari não tem autonomia para afastar comandantes, como fez semana passada, uma vez que a decisão cabe apenas ao comando geral da corporação. O mesmo autoritarismo também é sentido na Polícia Civil.

Por e-mail um policial disse: “não agüentamos mais as ingerências que ele comete na nossa polícia, são ordens absurdas, ele acabou com a nossa hierarquia”, referindo-se a delegados de primeira classe, que foram transferidos para distritos policiais.

De acordo com o Estatuto da Polícia Civil, delegados que conquistaram o título por antigüidade ou merecimento deveriam assumir delegacias especializadas e divisões de polícia.