Alberto Melnechuky
Curto-circuito pode ter
começado o incêndio.

Jamile Regina Gato da Cruz, de apenas 2 anos, morreu carbonizada e uma outra ficou ferida em um incêndio por volta de 21h, na Rua Alfredo Puppi, em frente ao Colégio Liberdade, em Colombo. No terreno havia quatro casas, duas foram totalmente tomadas pelo fogo.

Assustados com o tamanho das chamas, provavelmente provocados por um curto-circuito, Sueli Regina Assis Gato, juntamente com seus filhos de 7 e 3 anos e um bebê de 6 meses, saíram correndo da casa. Do lado de  fora, sentiram falta de Jamile. Tentaram entrar na residência para salvá-la, mas já era tarde, a menina estava morta, queimada em um dos cômodos destruídos pelo fogo. O outro menino ferido é morador da região e queimou a mão tentando entrar na casa. Com ferimentos leves, ele foi atendido pelos socorristas do Siate.

De acordo com Silvana Monteiro, vizinha da família, Sueli morava juntamente com seus quatro filhos na casa dos fundos. Na casa da frente, morava João Assis Gato, tio de Sueli, com sua família. "Quando o fogo começou eles saíram correndo, os funcionários da escola conseguiram salvar algumas coisas da casa da frente, mas lá no fundo não sobrou nada", disse a vizinha, referindo-se a um colégio próximo.

Para o tenente Simão, do Corpo de Bombeiros de Colombo, o erro da população está em achar que sempre consegue controlar o fogo. "Nosso posto é aqui pertinho, se as pessoas ligassem logo no primeiro foco do incêndio, o resultado seria outro", explicou o tenente.