Nem mesmo a chuva impediu o culto ecumênico em homenagem a Gilmar Souza Yared e Carlos Murilo de Almeida, vítimas do acidente provocado pelo ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho, há um ano.

Por volta das 20h de ontem, parentes e amigos das vítimas se reuniram na esquina das Ruas Paulo Gorski e Monsenhor Ivo Zanlorenzi, Mossunguê, onde ocorreu a colisão.

Cerca de 120 pessoas participaram da manifestação, realizada em um posto de gasolina, por causa do temporal. Outras pessoas que perderam familiares em acidentes de trânsito também participaram.

Todas clamavam por justiça. A mãe de Gilmar, Christiane Yared, explicou que o protesto serve para mostrar que a sociedade não pode esquecer desses casos e que continua a luta para punir quem mata no trânsito.

Testemunha

Uma nova testemunha pode trazer mudanças ao processo contra o ex-deputado. Carli Filho foi indiciado por duplo homicídio com dolo eventual e por dirigir embriagado.

Essa nova testemunha, investigada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Estadual (MP), é um ex-policial que afirma ter presenciado o acidente.

Essa testemunha teria “sumido” das imagens das câmeras do posto de gasolina, que registraram o acidente. A perícia paralela encomendada pelo advogado da família Yared, Elias Mattar Assad, já confirmou que houve alterações nas imagens. O caso do ex-deputado está no Tribunal do Júri. Até agora ele não foi ouvido, e ainda não há data definida para isso.