O advogado de Marco Antônio Augusto, 35 anos, Cláudio Dalledone, julgou mentirosas as acusações feitas pelo empresário Sadi Brunetta e por Antônio Augusto, tio de Marco. Munido de documentos, o advogado respondeu às acusações e salientou que Marco nada deve à Justiça de Vila Velha, no Espírito Santo, onde foi condenado por favorecimento à prostituição.

Segundo Dalledone, depois de cumprir dois terços da pena, Marco recebeu livramento condicional e respondeu o restante do prazo no Paraná. "Ele foi acompanhado pela Justiça daqui e está extinta a punibilidade", assegurou o defensor.

Quanto às ameaças à família Brunetta, o advogado apresentou documento referente a uma audiência ocorrida no dia 25 de janeiro deste ano, no Tribunal de Pequenas Causas. "Eles apertaram as mãos e ficou tudo bem. Se Marco é tão perigoso assim, porque Sadi Brunetta não deu continuidade ao processo?", questionou Dalledone.

No processo que corre contra Marco há declarações de Antônio Augusto afirmando que ele passou a procuração das três lanchonetes que possui (em terminais de ônibus) para o sobrinho mediante coação. Dalledone assegurou que as procurações foram passadas em 1993 e que em nenhum momento Marco forçou o tio a assinar os documentos.

Quanto ao assassinato da mãe do acusado, o advogado afirma que o tiro foi acidental.