Policiais da Delegacia de Delitos de Trânsito (Dedetran) aguardam que Norival Gouveia, 52 anos, se apresente para dar seguimento às investigações sobre o acidente que tirou a vida do motoboy Eduardo Prestes de Aguiar, 24, na Avenida Juscelino Kubitschek, Vila Sabará, Cidade Industrial. De acordo com a polícia, Norival é o proprietário do Siena preto, que bateu de frente com a motocicleta de Eduardo, e estava ao volante do carro no momento da colisão, por volta das 19h de domingo.

O veículo trafegava no Contorno Sul, sentido BR-277. Saiu da rodovia e, no acesso da marginal, acertou o motociclista. O corpo de Eduardo foi lançado cerca de 30 metros à frente, provocando a morte dele na hora. Médicos que chegaram primeiro, para tentar salvar o motociclista, viram os ocupantes do automóvel tentando se livrar de latas de cerveja. O motorista e alguns passageiros estariam visivelmente embriagados e várias latas foram deixadas para trás, nos bancos e assoalho do Siena. Eles foram perseguidos por populares e fugiram para se esconder em casa de amigos na vila.

Ocupantes

A princípio seriam três ocupantes, o motorista e um casal, mas ontem a polícia informou que havia cinco pessoas dentro do Siena. “Algumas pessoas disseram que o motorista estava bêbado. Precisamos que os testemunhos oficiais confirmem isso. Se for confirmada a embriaguez, o condutor deverá ser indiciado por homicídio”, explicou o delegado Anderson Franco, da Dedetran.

Pouco depois de entrar em contado com a família de Norival, pedindo que ele se apresentasse, o delegado recebeu a ligação de um advogado, garantindo que o motorista iria até a delegacia em breve. “Caso não venha, ao fim do inquérito vamos pedir a prisão dele”, garantiu Anderson.

Confusão

Depois do acidente, moradores da região, revoltados com o estado dos ocupantes do carro, arrancaram os quatro pneus do veículo e começaram a depredá-lo. Como a polícia demorou a chegar, o local se tornou “terra de ninguém”. Contorno Sul ficou com longas filas de congestionamento e o tráfego voltou ao normal somente depois das 21h30.

Eduardo morava há quatro anos em Curitiba. Veio da Lapa com a mulher e a filha, que completou 4 anos na quinta-feira. O corpo dele foi sepultado ontem, no Cemitério Municipal do Boqueirão.

Paraná Online no Google Plus

Paraná Online no Facebook