Após o ex-deputado estadual Luiz Fernando Ribas Carli Filho ter divulgado um vídeo, na noite da última sexta-feira, em que confessava o erro por ter dirigido sob o efeito de bebida alcoólica há sete anos, no dia do acidente em que resultou nas mortes de Gilmar Rafael Yared, 26 anos, e Carlos Murilo de Almeida, 20, a defesa da família Yared publicou uma nota, na manhã deste sábado (7), lamentando a atitude do ex-parlamentar.

Confira a nota abaixo, assinada pelo advogado Elias Mattar Assad:

Com julgamento pelo júri se aproximando, o ex-deputado Carli Filho produziu um vídeo profissional, harmônico com sua cambaleante tese jurídica. Na qualidade de advogado da família Yared (vítima), admitida no processo como Assistente da Acusação, observo:
1. É visível a iluminação, sonorização, falsa emoção com leitura de roteiro em TP e maquiagem para acentuar cicatrizes;
2. Não respeitou o dia mais triste das vidas de suas vítimas, para divulgar seu vídeo defensivo;
3. No vídeo apenas “confessa” tese jurídica absurda de que “foi um mero acidente”, quando embriagado e a 173 km/hora, tentou aquele criminoso salto com seu “possante”, apesar da sinalização em amarelo intermitente;
4. A defesa, após ver a absurda tese do “mero acidente” repelida pela Justiça do Paraná e em Brasília, tenta preparar a a opinião pública para o que vai sustentar no júri;
5. É direito da defesa mandar produzir e publicar esse material para o júri e, nele, tentar desclassificar o crime para culposo (“mero acidente”) e que já está prescrito. Mas no vídeo, não é o mesmo Carli Filho que diante do Juiz no interrogatório declarou “não serem verdadeiras as acusações contra ele”.

Assim, como a defesa está antecipando os debates do júri, publicaremos também, em breve, um vídeo com síntese das provas acusatórias.
Finalizo lembrando que Carli Filho sempre culpou as vítimas, sem ter pago até hoje, ao menos, despesas de funerais.
Debateremos esses aspectos fáticos e técnicos no Tribunal do Júri. A sociedade curitibana dará seu veredito.