A Defensoria Pública de Campina Grande do Sul interditou, na última sexta-feira (16), a delegacia da cidade, após a apresentação de uma ação civil pública proposta em conjunto com o Ministério Público do Estado do Paraná.

A liminar contra o Estado foi deferida pela juíza Adriana Benini, do Foro Regional da cidade. A partir de agora, os presos que estiverem na Delegacia de Campina Grande do Sul serão transferidos e o local fica impedido de receber novos presos.

A carceragem foi depredada pelos presos em um tumulto registrado na última quarta-feira (14). Na ocasião, os detidos reclamavam da lotação nas celas. Diante do perigo de novas rebeliões e buscando evitar o que aconteceu em Colombo, quando um policial civil foi morto durante uma fuga de detentos, a Defensoria Pública e Ministério Público entraram com o pedido de liminar.

Na decisão, a juíza determinou que no prazo de 24 horas todos os presos devem ser removidos do local. O descumprimento da ordem vai acarretar ao Estado multa diária de R$ 1 mil para cada preso que permanecer na carceragem.