A Delegacia Eletrônica já registrou 9.943 atendimentos desde sua criação, em 1º de setembro. Nesta primeira fase, podem ser registrados casos de extravio de documentos, aparelhos eletrônicos (como celulares e notebooks) e de aparatos financeiros (dinheiro, cheques e cartões) – ocorrências que representam cerca de 30% dos boletins das delegacias. O site www.delegaciaeletronica.pr.gov.br também recebe denúncias.

O novo sistema foi uma das medidas anunciadas no lançamento do programa Paraná Seguro, em agosto, para melhorar o atendimento à população. Considerando as solicitações não efetivadas pelo sistema, estima-se que mais de 12 mil pessoas já procuraram o serviço disponível na internet.

Segundo informações da Coordenação de Informática da Polícia, o sistema tem sido acessado inclusive por pessoas de fora do País, que perderam documentos durante viagens.

No primeiro mês de funcionamento, a delegacia recebeu 4.148 boletins de ocorrência e 181 denúncias, e, no seguinte, 4.104 BOs e 99 denúncias. Nos primeiros dez dias deste mês, foram 1.382 boletins e 29 denúncias.

A expectativa da Polícia Civil é que o número de solicitações aumente, conforme a população se acostume com a nova ferramenta. A delegacia também pode ser acessada pelo site da Secretaria da Segurança Pública (www.seguranca.pr.gov.br) e da Polícia Civil (www.policiacivil.pr.gov.br).

Alívio

Para os distritos policiais da capital, a Delegacia Eletrônica significa redução na procura por registro de BOs. O 1º Distrito Policial de Curitiba mantém um terminal para quem não tem acesso à internet registrar o boletim.

“Colocamos um policial para orientar as pessoas sobre os procedimentos do sistema”, explica o delegado titular do distrito, Alcimar de Almeida Garrett. Ele explica que o boletim eletrônico corresponde a cerca de 20% do total registrado pelo 1º DP.