Dois carros e uma motocicleta
que estavam no pátio.

A delegacia de Campina Grande do Sul foi alvo de um incêndio criminoso perto das 3h de ontem. Sem que o plantonista percebesse, desconhecidos pularam o muro e atearam fogo em dois carros e uma motocicleta, apreendidos por irregularidades, que estavam estacionados no pátio. Para o delegado da cidade, tratou-se de uma tentativa de intimidação ou de vingança, mas não há pistas dos responsáveis.

Os incendiários, em número ainda não determinado, encharcaram um Gol, um Fiat Uno e a motocicleta com álcool, atearam fogo e saíram correndo. O único policial de plantão só deu conta do fato quando as chamas já estavam altas e não havia mais vestígios dos criminosos. Vizinhos ajudaram o plantonista a apagar o fogo, que danificou parcialmente os veículos e atingiu o telhado da delegacia. Uma garrafa de álcool foi encontrada sobre o banco de um dos carros.

Represália

O delegado de Campina Grande do Sul, Edílson Magalhães, acredita que a ação foi uma resposta a algum serviço da polícia. “Alguém quer abalar as estruturas da delegacia, agindo assim em represália ou como tentativa de intimidação”, afirmou. A responsabilidade pelo ato, porém, ainda é desconhecida. Magalhães reconhece que não há um norte para iniciar as investigações. “Pode ser até alguém que foi preso por bater na mulher”, disse, ao ser questionado se o ato não seria característico de uma quadrilha organizada. Uma das suposições do delegado – mas sem nenhum indício concreto -, é com relação à fuga de nove detentos da DP de Quatro Barras, na tarde de domingo. “Presos nossos estavam entre os fugitivos”, afirmou.

Moradores dos arredores da delegacia foram ouvidos mas ninguém viu os responsáveis. Uma equipe policial está nas ruas em busca de pistas.