Policiais da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), dos núcleos de Curitiba, Cascavel e Pato Branco, com apoio da 13ª Subdivisão Policial (SDP) de Ponta Grossa, prenderam três pessoas e fizeram uma das maiores apreensões de crack do ano no Paraná – 21,3 quilos – além de apreender mais de 14 quilos de maconha com suspeita de ser geneticamente modificada.

A prisão e as apreensões ocorreram em duas ações da polícia na noite desta quinta-feira (11). A maconha seria levada para São Paulo. Já o crack vinha de Foz de Iguaçu e seria distribuído em Ponta Grossa. O crack poderia ser transformado em 110 mil pedras, o que chegaria a render R$ 200 mil aos traficantes.

A apreensão do crack foi feita por policiais da Denarc de Curitiba com apoio de policiais civis da 13ª SDP de Ponta Grossa. Além da apreensão da droga, a polícia prendeu duas pessoas. Segundo o delegado Renato Bastos Figueiroa, chefe do núcleo de Curitiba da Denarc, a apreensão é resultado de uma investigação de cerca de um mês. “Recebemos a informação de que um veículo Audi preto vindo de Foz iria levar uma grande remessa de crack para um comprador paraguaio em Ponta Grossa e por isso montamos barreiras nas duas entradas da cidade”, explicou.

Leandro Marasca, 31 anos, foi detido em flagrante por policiais civis em abordagem no posto da Polícia Rodoviária Federal de Ponta Grossa, BR-376. Ele estava transportando o crack. “Quando foi abordado, ele disse que era revendedor de produtos alimentícios e que estaria indo para Curitiba. Em vistoria encontramos a droga escondida na lateral do veículo”, disse o delegado-chefe do núcleo de Curitiba.

Marasca confessou que ganharia R$ 8 mil pelo transporte do crack e que iria encontrar o comprador em um shopping no centro da cidade. “Diante dessa informação, acompanhamos o primeiro suspeito e prendemos em flagrante um homem que se identificou como Emiliano Assuncion Machado, 36 anos, que seria o comprador do crack. Pelas nossas investigações ele é suspeito de ser um dos maiores traficantes da região de Ponta Grossa”, explicou. De acordo com a polícia, Machado estava agindo na região há cerca de cinco meses, quando veio de Santa Catarina.

Maconha

Já a maconha foi apreendida por policiais da Denarc do núcleo de Cascavel, com apoio do núcleo de Pato Branco. De acordo com o delegado Julio Reis, de Cascavel, a droga foi encontrada com Ana Paula de Falco, 33 anos, que estava viajando em um ônibus de Foz do Iguaçu para São Paulo, seu estado de origem.

“Recebemos uma denúncia de que a droga seria transportada de Foz do Iguaçu para São Paulo e então abordamos o ônibus quando estava na BR 277 em Cascavel”, explicou o delegado. Segundo ele, a natureza da substância apreendida também chamou a atenção. “Uma análise prévia dos policiais concluiu que se trata de uma maconha que tem alteração genética para aumentar seu princípio ativo e proporcionar um odor de menta, por isso chamada maconha mentolada”, explicou.

O delegado Adriano Chohfi, da Denarc de Pato Branco, ressaltou que o trabalho integrado entre os núcleos do interior tem dado resultado efetivo na repressão ao tráfico. “Continuaremos as investigações com o objetivo de apurar a origem e o comprador dessa droga”, declarou.

Ana Paula já tinha antecedentes por tráfico de drogas. A suspeita foi autuada em flagrante e foi encaminhada para a Delegacia de Matelândia, onde permanece detida a disposição da Justiça. A droga apreendida será encaminhada ao setor de Toxicologia do Instituto Médico Legal (IML) para análise definitiva.

Balanço

Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) apreendeu uma quantidade considerada recorde de crack nos primeiros meses de 2010. Em todo o Paraná foram apreendidos mais de 100 quilos da droga, apreensão superior à média de apreensões mensais dos últimos dois anos, que foi de cerca de 14 quilos por mês.