A Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) de Londrina realizou na tarde de quarta-feira (27) a Operação Titan, que prendeu suspeitos de integrar uma quadrilha de trafico de drogas em Centenário do Sul, região norte do Estado.

Foram presos Sidnei Borges da Silva, 38, e Alexandre Pereira dos Santos, 24. Com eles foram apreendidos um revólver calibre 32, um quilo de maconha, 200 gramas de crack, mil reais, documentos, notas fiscais, eletrodomésticos e telefones celulares.

Segundo as investigações, os suspeitos transportavam as drogas escondidas dentro de eletrodomésticos. De acordo com a polícia, o chefe da quadrilha morava em Foz do Iguaçu e mandava drogas para Centenário do Sul dentro de fornos de microondas, aspiradores de pó e televisores.

Participaram da operação 60 policiais dos núcleos do Denarc de Foz do Iguaçu; Londrina; Pato Branco e Cascavel. Em Centenário do Sul foram cumpridos 10 mandados de busca e dois de prisão preventiva. O detido Alexandre Pereira dos Santos, segundo o delegado chefe Michel Rocha de França Araújo, era o gerente do tráfico na cidade. “Ele recebia toda droga e fazia a distribuição para pequenos traficantes que vendiam para usuários em toda cidade” explicou.

Em Londrina foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão em locais suspeitos de estarem sendo usados como ponto de tráfico de drogas e os policiais terminaram a Operação Titan com o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em Foz do Iguaçu. No total foram cumpridos 16 mandados de busca e apreensão e quatro de prisão preventiva.

O chefe da quadrilha, identificado como Jonathan Soares, conseguiu fugir e a polícia mantém diligencias para prende-lo. De acordo com o delegado Michel, era ele quem comprava eletroeletrônicos que recheava com drogas. “Os eletrodomésticos eram comprados no comércio local, com nota fiscal para não levantar suspeitas” disse o delegado.

Sidnei Borges da Silva foi autuado por trafico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Alexandre Pereira dos Santos Alexandre vai responder por tráfico e associação para o trafico. Os dois ficam presos no Setor de Prisão Provisória a disposição da justiça. Investigações continuam para determinar a possível participação de outras pessoas em outros pontos para onde a droga estava sendo distribuída.