Dando continuidade a trabalho de reestruturação das policias, feito pelo Programa Paraná Seguro, da Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), o Departamento da Polícia Civil recebeu, esta semana, uma remessa de 893 novas armas. São 868 pistolas modelo 840 e 25 submetralhadoras SMT-40. “Essas armas serão repassadas aos novos policiais que estão sendo formados, e servirão também para substituir algumas armas antigas. As armas longas serão enviadas para os grupos especiais e para a região de fronteira”, afirmou o delegado-geral da Polícia Civil, Marcus Vinícius da Costa Michelotto.

As armas custaram R$1.716,158 e foram compradas com recursos do Fundo Especial de Segurança Pública (Funesp).

Segundo o delegado titular da Delegacia de Explosivos, Armas e Munições (Deam), Alfredo Dib Júnior, as novas armas são de ótima qualidade e proporcionarão bom desempenho aos policiais que as utilizarem. “As pistolas são muito operacionais. Diferente de alguns outros modelos que marcam pela portabilidade e descrição e são para uso mais velado, essas novas pistolas são até um pouco maiores do que as outras e são para serem utilizadas na linha de frente mesmo”, explicou o delegado. Quanto às submetralhadoras ele afirmou serem também muito práticas. “Têm a alça de mira regulável, são ergonômicas e extremamente leves”, explicou.

O diretor da Escola Superior de Polícia Civil (ESPC), Luís Fernando Viana Artigas Júnior, contou que desde o início do Paraná Seguro, cerca de setecentos novos policiais civis já passaram pela ESPC e agora estão fazendo parte dos quadros da Polícia Civil. Uma nova turma, com mais duzentos policiais, inicia-se nos próximos dias. “A aquisição destas armas mostra a preocupação do Estado em oferecer melhores condições de trabalho aos policiais civis. É uma prova de que a cada dia a Polícia Civil está na busca pela excelência”, afirmou Artigas.

Fogos

No final do ano passado, durante as festas de Natal e Réveillon, a Deam realizou operações na capital, região metropolitana e litoral e apreendeu cerca de 400 caixas de fogos de artifícios armazenadas de maneira irregular. “Conforme o prometido, continuamos a prática dessas operações mesmo depois do período de festa e, com a parceria com a Divisão Policial Metropolitana (DPMetro), aprendemos esta semana, cerca de uma centena de caixas de fogos em Bocaiuva do Sul”, contou Dib.

O delegado destacou que os responsáveis foram conduzidos até a delegacia, assinaram termo circunstanciado e agora estão respondendo pelas irregularidades. “Optamos pela fiscalização em forma de prevenção para que não ocorram tragédias como a do último final de semana no Rio Grande do Sul”, disse o delegado, demonstrado todo seu sentimento de pesar com o corrido na cidade de Santa Maria.