Desacordo comercial por causa de uma área de vigilância terminou com a morte de José Soares Carvalho, 55 anos, o “Deca”. Ele visitava a loja de um amigo, que vende produtos nordestinos, quando foi atingido por vários tiros, na tarde dessa segunda-feira.

José caiu morto antes mesmo da chegada dos socorristas, na porta do comércio na Rua Aristides Marquezine, no bairro Sítio Cercado. O filho dele, Welson Soares Carvalho, disse que, pelo que foi relatado por testemunhas, o atirador era conhecido.

Segundo ele, o motivo do crime seria uma negociação feita há alguns anos, relativa a uma área de segurança no Tatuquara. “Eles falaram que o setor dava um total por mês e nunca deu, daí eu quis desfazer o negócio e eles não quiseram, com a ameaça de eu perder o carro e o dinheiro”, contou Welson.

O filho disse que o pai vinha sendo ameaçado pelos homens por causa desse negócio. “Esses caras são só enrolões e agora fizeram o que fizeram”, lamentou. Ele conto que o pai, que vende enxovais, estava de folga nessa segunda.

O crime deve ser investigado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Foto: Lineu Filho.