Policiais do Centro de Operações Especiais (Cope), depois de quatro meses de investigações, conseguiram desarticular uma quadrilha responsável por assaltos a banco, homicídios e tráfico de drogas.

No decorrer do trabalho policial, quatro integrantes do grupo, três deles foragidos do sistema penitenciário, foram presos. O último, na noite de quarta-feira. O quinto suspeito ainda é procurado.

Alisson Fernando da Silva, 24 anos, Peterson Luis Paiva, 28, Francisco Conrado de Brito Morais, 30, e Tiago Alexandre Gomes, 19, estão detidos. Os quatro são suspeitos de assaltar uma agência do Banco do Brasil em Balsa Nova, Região Metropolitana de Curitiba (RMC), em 8 de janeiro. Eder Carlos Pessoa, 29, suspeito de participar da quadrilha e com passagem por tráfico de drogas, é procurado pela polícia.

De acordo com o delegado Hamilton da Paz, no dia do assalto eles agiram fortemente armados e usavam coletes balísticos. Renderam a gerente do banco em sua residência e a levaram até a agência, onde ficaram por uma hora, fingindo fazer trabalho de manutenção.

“Enquanto parte da quadrilha permanecia com a gerente, dentro do banco esperando para abrir o cofre, outros ficaram do lado de fora, rendendo funcionários que chegavam para iniciar seu dia de trabalho”, explicou o delegado.

Investigação

Durante os quatros meses de investigação, os policiais identificaram e prenderam Silva, Paiva e Morais. Os três eram foragidos da Colônia Penal Agrícola, em Piraquara, onde cumpriam pena por roubo e tráfico de drogas.

Silva fugiu em dezembro de 2008. Gomes, o último a ser preso, além de participar do assalto ao banco, confessou, segundo a polícia, ter matado André Augusto Flauzino, 27, em 23 de janeiro, e Eduardo Porto, 19, no dia seguinte, ambos na Cidade Industrial de Curitiba (CIC).

“Com essa prisão e a identificação de outro suspeito, desmontamos a quadrilha. Vamos repassar as investigações dos assassinatos para a Delegacia de Homicídios e continuaremos nas buscas para prender Eder Pessoa”, afirmou o delegado Hamilton.

Os quatro foram indiciados por formação de quadrilha e roubo qualificado. Gomes também vai responder pelo dois homicídios. Depois de prestar depoimento, eles foram removidos para o Centro de Triagem II (CTII), em Piraquara.