Átila Alberti
Alex, Rogério e Ivonério
assaltaram casa de policial.

Depois de três meses de investigações, policiais do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) desmantelaram duas quadrilhas que moravam em Colombo e agiam em Curitiba e outros municípios da Região Metropolitana. Os criminosos eram especializados em roubos de veículos e assaltos em residências e comércios. Cinco integrantes dos bandos foram presos e outros dois continuam foragidos.

De acordo com o delegado Marco Antônio Góes, o Cope estava investigando os marginais desde o final do mês de junho. Um dos grupos foi identificado depois de um assalto ocorrido no dia 30 de agosto. Na ocasião, Ivonério Lima Silva, 21 anos, e Marcos Antônio da Silva Mendes, 20, invadiram a casa de um policial do Cope, na Rua Capistrano de Abreu, Boa Vista. O policial reagiu, houve troca de tiros e Marcos foi baleado, chegando morto no hospital. Ivonério conseguiu fugir ileso.

Os policiais prosseguiram as investigações e depois de identificar os bandidos descobriram que a quadrilha, especializada em assaltos a comércios e residências, era composta por outros três marginais. São eles: Rogério de Paula, 19, conhecido como "Rogerinho"; Alex dos Santos, 19, o "Pinheirinho", e Luciano Soares, 22.

Sabendo que o bando morava no Guaraituba, Colombo, no último dia 18 os investigadores conseguiram prender Ivonério em sua casa e "Rogerinho" e "Pinheirinho" em outra residência, mas Luciano conseguiu escapar. "Rogério é acusado de homicídio; Luciano está cumprindo pena em regime aberto por roubo e Alex já foi preso por roubo de carros", contou o delegado.

Outra

A outra quadrilha que foi desarticulada em Colombo era liderada por Márcio Zanella, 27, e composta por Cláudio Luiz Lopes, 31; e Márcia Lopes de Medeiros, 20. Na manhã do último dia 15 os policiais chegaram até a casa de Márcio e lá prenderam a namorada dele, Márcia. À tarde, quando retornara à residência, os policiais detiveram Cláudio, mas Zanella conseguiu escapar. Na casa dele os policiais apreenderam um Astra, roubado no dia 14, e uma carabina calibre 12. "Eles roubavam de dois a três carros por dia. Esperamos que com a prisão da maioria das duas quadrilhas outras vítimas os reconheçam", finalizou o delegado.