Dois bebês do sexo masculino foram trocados no Hospital e Maternidade do Alto Maracanã, em Colombo, há seis meses. Um exame de DNA, cujo resultado ficou pronto anteontem, revelou que dois meninos que as crianças foram entregues a casais diferentes, quando nasceram, em 9 de setembro de 2009.

As duas famílias estão abaladas com a situação, principalmente diante do fato de que terão que destrocar os bebês, pois até então os criaram como filhos biológicos, dando toda a atenção e carinho necessários. Um dos casais diz que irá processar o hospital.

Devido ao caso envolver crianças, os nomes dos bebês e dos pais não podem ser divulgados. No entanto, um dos casais, ele um ajudante de serviços gerais de 50 anos, e ela, uma dona de casa de 25 anos, moradores em Borda do Campo, Quatro Barras, contaram o drama.

Busca

Eles foram procurados há um mês por uma equipe do hospital, informando a possível troca e solicitando que o casal fizesse um exame de DNA. Quem se deu conta do erro foi o pai do outro bebê, morador em Colombo, que achava que a criança não se parecia com ele.

Ele contatou o hospital e os 25 casais que tiveram seus filhos nascidos naquele dia foram chamados para a averiguação genética. Os resultados dos exames saíram anteontem.

“Teremos que destrocar as crianças, mas com enorme aperto no coração. As irmãs dele acordam de manhã e já o tiram do berço para ficar com ele. Sentirão falta, vão estranhar o outro menino no início. Sabemos também que a outra mãe está sofrendo demais”, disse o ajudante de serviços gerais.

Ele e a esposa -que moram com sete filhos -ainda não sabem quando nem como, farão a destroca. Os casais e os bebês já se conheceram no dia do resultado do exame. Mas as famílias deverão voltar a conversar ao longo dos próximos dias, para resolver a situação.