O DJ Marco Antônio Jarosz, 34 anos, conhecido como “Bactéria”, foi preso em Colombo, por policiais civis do Núcleo de Repressão aos Crimes contra a Saúde (Nucrisa). Ele é suspeito de controlar esquema de falsificação de receitas médicas e históricos escolares entre outros documentos. Na casa dele, foram apreendidos atestados médicos em papel timbrado de hospitais de Curitiba e região.

Segundo a delegada Paula Brisola, “Bactéria” disse que cobrava R$ 15,00 por documento falsificado, mas há aproximadamente seis meses reajustou para R$ 20,00. “Não sabemos exatamente a quanto tempo ele vem aplicando esse golpe”, explicou a delegada.

Carimbo

Paula afirmou que foram apreendidos durante as investigações carimbo médico, folhas de atestados médicos originais em branco, impressões de atestados falsos, contracheques, históricos escolares falsificados da Secretaria de Estado da Educação, um documento de identidade da Justiça Federal falsificado, além de equipamentos de informática.

“Durante o interrogatório ele confirmou que seu forte era a falsificação de atestados, e que as pessoas o procuravam em sua residência”, contou. Ele confirmou para a delegada que fazia as falsificações por computador.

Liberado

“Bactéria” foi indiciado, mas como a prisão não foi em flagrante, ele foi ouvido e liberado. No entanto, a delegada alertou que as investigações continuam e as pessoa que adquiriram documentos feitos por ele, podem responder por uso de documento falso e falsificação de documento particular.

Quem souber de casos suspeitos pode procurar o Nucrisa, na Rua Desembargador Ermelino de Leão, 513, São Francisco, enviar e-mail para nucrisa@pc.pr.gov.br , ou telefonar para 3883-7120.