Um dos cinco suspeitos presos com drogas e chips de celular, no Cajuru, anteontem, identificou-se com nome do irmão. Rafael Alexandre Amaral, 22 anos, estava em liberdade condicional e era procurado pela Polícia Federal (PF), por envolvimento com o narcotráfico. Para não ser descoberto, ele deu o nome de Paulo Roberto, porém familiares souberam da prisão e esclareceram o caso. Rafael tinha sido preso por assaltar a casa de um vereador de Curitiba em 2007.

No início do mês passado, a mulher de Rafael, Maiara de Fátima Esper Cury, 23, foi presa por agentes da PF na residência do casal, no Cajuru. No local, também foi detido um indivíduo conhecido por Tiago, que pertencia ao quadro da Aeronáutica. Com eles, a polícia apreendeu 14 quilos de crack e cocaína. Rafael conseguiu escapar, mas passou a ser investigado pela PF. Mandado de prisão em seu nome foi expedido dia 24 do mês passado.

Por esse motivo, e também por estar em liberdade condicional, Rafael não quis revelar seu nome quando foi detido, com outros quatro indivíduos, com cerca de 140 pedras de crack. “Familiares denunciaram a falsa identificação”, disse o superintendente do 6.º Distrito Policial, Carlos Alberto do Amaral.

Histórico

Em janeiro de 2007, Rafael participou do assalto a casa de um vereador, no Jardim Social. Segundo ele, foram roubados um aparelho de DVD e um veículo Fiesta. Rafael foi preso em flagrante e permaneceu na cadeia até 2009, quando passou para o regime aberto.