Presos de uma das duas alas da cadeia pública de Cascavel, no Oeste do Paraná, que possui 380 internos, rebelaram-se na madrugada de ontem. Vários presos ficaram feridos e nove foram levados para o hospital atingidos por golpes de estoques (facas rústicas). A rebelião começou às 2h30 e foi controlada somente às 9h, com a interferência de um promotor e um juiz de execuções penais. Esta foi a terceira rebelião na mesma cadeia neste ano.

Segundo o delegado adjunto de Cascavel, Tadeu Bello, os presos reclamavam da superpopulação carcerária – a capacidade é para 140 pessoas -, da comida e da falta de assistência jurídica. “Temos tentado satisfazer todas as necessidades básicas deles”, afirmou o delegado.

No início da rebelião, os presos arrebentaram todos os cadeados das grades e se posicionaram em uma das galerias. Eles ainda fizeram um buraco na parede para liberar a outra galeria, mas antes que isso acontecesse a revolta foi controlada.

Os presos jurados de morte, que ficam em uma cela separada, foram feitos reféns e apanharam bastante dos outros detentos. Ontem à tarde, com auxílio da Prefeitura, os estragos na estrutura da cadeia já estavam sendo reparados.