Polícia Federal
Operação de fiscalização da PF rendeu na prisão de Marcos.

Durante a operação de fiscalização aos serviços de segurança privada em Foz do Iguaçu foi preso em flagrante delito o segurança Marcos Aurélio de Lima, que portava, de forma ilegal, uma arma ?fria? e mais doze munições, sem registro. Marcos foi abordado pelos policiais próximo ao bairro Campos do Iguaçu, na madrugada de anteontem, enquanto prestava serviços para uma empresa de segurança.

Durante o depoimento, o segurança disse que comprou a arma no Paraguai para se defender durante o seu trabalho. Ele disse ainda que o revólver Rossi, calibre 38, foi contrabandeado há cerca de dois meses.

A fiscalização da Polícia Federal se estende tanto às empresas especializadas em prestação de serviços de vigilância, como também às empresas que tenham objeto econômico diverso da vigilância, mas que utilizam pessoal do quadro funcional próprio para a execução dessas atividades.

De acordo com a legislação brasileira (Lei 7.102/83), cabe à Polícia Federal regulamentar e fiscalizar os serviços de segurança privada. As empresas de segurança privada se traduzem em verdadeiros grupos armados, que devem se submeter às normas e fiscalização do governo para que possam operar legalmente.

Durante esta semana, foram designadas equipes para fiscalizar, durante os períodos da manhã, noite e madrugada, locais onde há a existência de serviços de segurança privada, como empresas, casas noturnas, hotéis, faculdades e estabelecimentos comerciais.

Nos últimos dois dias foram apreendidos diversos coletes, cacetetes e até algemas de vigilantes que se encontravam em situação irregular. Foram também coletados dados que poderão resultar em notificações e multas para as empresas que não estejam de acordo com a lei. O próximo passo é estender a fiscalização às demais cidades do Oeste do Paraná.