Foram presos ontem dois dos três homens acusados de seqüestrar uma família de agricultores anteontem em Carambeí, perto de Ponta Grossa. Os dois acusados foram ouvidos na delegacia de Ponta Grossa. Segundo a polícia, um dos presos, Jarme Paulo Soares, seria segurança do prefeito afastado de Carambeí, Alci Pedroso. O outro, Josnei Pedrolo de Souza, é sobrinho do agropecuarista seqüestrado. Ele se fez passar por refém durante o seqüestro.

A família do agropecuarista Johan Friderich Schimidt, 68 anos, foi surpreendida anteontem na hora do almoço, quando se tornaram reféns dos bandidos. Eles só foram liberados no meio da tarde, depois do pagamento do resgate de R$ 30 mil.

Esse dinheiro foi levantado quando os seqüestradores liberaram Schimidt e o sobrinho – acusado de fazer parte do trio – para conseguir a quantia. Eles se dirigiram até a Batavo, onde são cooperados, e pediram R$ 30 mil que tinham direito. Pegaram o dinheiro e voltaram para casa. Mas, antes, Schimidt ligou para a prefeitura, contando sobre o ocorrido, e em seguida a Polícia Militar foi acionada.

Já eram 14h quando o agropecuarista voltou e entregou o dinheiro para os bandidos. A polícia tentou fazer o flagrante, mas ao chegar no sítio da família, o grupo já tinha saído, levando o dinheiro e a “vítima” Josnei Pedrolo de Souza como garantia. Segundo relatos do sobrinho no dia do crime, ele saiu dirigindo uma Parati de sua propriedade até uma churrascaria, onde uma caminhonete F-250 e um Audi preto aguardavam os bandidos. De lá, Josnei voltou para casa na própria Parati.