A polícia trabalha com novas possibilidades para a morte de Jackson Cairo de Lima, 20 anos, ocorrida na madrugada de domingo, no Santa Cândida, após ser baleado em um posto de combustível. Uma delas é que o rapaz teria discutido com um cliente da loja de conveniência antes de ser morto.

Outra hipótese, levantada pela família do jovem, é que o segurança do posto teria sido o autor dos disparos. Anteriormente, tinham acusado seguranças de uma casa noturna. Na quarta-feira, à noite, alguns familiares protestaram em frente ao local do crime pedindo por justiça.

O delegado Fábio Amaro, da Delegacia de Homicídios, pediu imagens de câmeras de segurança do posto, mas funcionários disseram que os equipamentos estavam desligados por motivo de reforma no local. Segundo o delegado, testemunhas relataram que Jackson estava armado quando chegou ao posto.

Confusão

Testemunhas afirmaram à polícia que Jackson havia se envolvido em uma confusão dentro de uma casa noturna, minutos antes de morrer. “A discussão começou já na saída da casa e nós pedimos para que os envolvidos se retirassem. Assim que saíram, fechamos as portas”, afirmou a proprietária do estabelecimento, que pediu para não ser identificada. Ela contou ainda que os seguranças ficaram o tempo todo na casa, com os portões fechados.