Alberto Melnechuky / Tribuna do Paraná
Pedreiro foi atingido na
frente dos filhos e da esposa.

O que era para ser uma tarde de alegria para a família do pedreiro Nilson Valim da Rocha, 44 anos, se transformou em um dia marcado pela mais covarde das crueldades. Enquanto brincava com seus filhos, Nilson foi esfaqueado pelas costas e depois atingido por vários outros golpes. Ele caiu morto próximo às cavas do Rio Iguaçu, na frente das três crianças e da esposa. O crime aconteceu na tarde de domingo, em São José dos Pinhais.

Segundo o irmão da vítima, o sargento da Polícia Florestal Sérgio Rocha, 37 anos, Nilson foi assassinado por causa de uma briga com um vizinho chamado Valdecir. A confusão teve início há alguns dias, quando a comadre da vítima denunciou Valdecir, que estava fazendo “gatos” para ter energia elétrica gratuita. Ao tirar satisfação com a mulher, Nilson teria defendido ela e Valdecir jurado os dois de morte. Na tarde de domingo, parte da promessa foi cumprida.

Pelas costas

Por volta das 16h50, o pedreiro saiu de sua casa, situada em um beco próximo a Rua José Gomes de Almeida, Jardim Bandeirantes, e foi se divertir com a família no terreno das cavas. Enquanto ele brincava com os filhos de 9, 7 e 3 anos e era observado pela esposa, Valdecir lhe deu uma facada nas costas. Sem poupar as crianças da tragédia, ele ainda desferiu outros golpes, atingindo Nilson no peito e no pescoço.

Após deixar o pedreiro agonizando na frente da família, Valdecir fugiu do local. Os amigos da vítima tentaram socorrê-lo, mas o pedreiro não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Cabe aos investigadores da delegacia de São José dos Pinhais apurar o nome completo do assassino e dar início às buscas.