Divulgação
Rapaz deve ter 25 anos.

Um dos homens que participaram do assassinato da empresária Tânia Cristina Mikosz, 49 anos, na última sexta-feira, em Curitiba, teve seu retrato falado divulgado ontem pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR). Ele é magro, tem 1,75 m de altura, pele clara, aparenta ter 25 anos, tem olhos castanhos, cabelos curtos e castanhos escuros. O delegado Rubens Recalcatti, titular da DFR, informou que nos próximos dias deve divulgar o retrato falado dos outros dois homens envolvidos no crime.  

Ele disse que durante o final de semana colheu várias informações que podem ajudar na identificação dos marginais. ?Ainda não podemos divulgar, mas em breve teremos novidades. É só uma questão de tempo?, prometeu o delegado.

Ele solicitou às pessoas que tiverem informações sobre o paradeiro do marginal que entrem em contato com a DFR através do telefone (41) 3262-2800. Para denunciar não é necessário se identificar.

Recalcatti disse que também está apurando o motivo do crime. Na noite de sexta-feira, quando Tânia foi morta com um tiro na cabeça, a primeira hipótese que surgiu foi a de que os marginais iriam levar o Corsa da vítima, que estava no estacionamento da loja Mansão das Fantasias, na Rua Visconde de Nácar, entre as ruas Saldanha Marinho e Augusto Stellfeld, no centro de Curitiba.

Por este motivo a Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV) iria investigar o caso. Mas durante as investigações surgiram outras duas possibilidades. Uma delas seria de que os bandidos iriam assaltar a loja e a outra de que ocorreu um homicídio. ?Já ouvimos várias testemunhas e não descartamos nenhuma possibilidade?, salientou Recalcatti.