Foto: Fábio Alexandre/Tribuna
Rapaz se distraiu e foi alvejado pelo proprietário da revistaria.

No instinto de defender seu patrimônio e a própria vida, o dono de uma banca de jornais não titubeou em atirar contra um adolescente de 17 anos. Na tarde de ontem, o garoto invadiu o comércio, situada na Avenida Sete de Setembro, e com uma arma em punho obrigou o proprietário a ir para a sobreloja. O homem reagiu e baleou o menor, que tombou morto atrás do balcão.

Na tarde de ontem, dois adolescentes já haviam tentado assaltar comércios no centro. Sem conseguir efetuar os roubos, a dupla resolveu investir contra a banca de jornais. Por volta das 12h30, um deles ficou na porta e Daniel Bruno Antônio entrou na loja e deu voz de assalto ao proprietário. Ele encostou o revólver calibre 32 no homem e o obrigou a subir a escada, rumo ao segundo andar. Naquele momento, o comerciante, que tinha um revólver, conseguiu apanhar a arma. Aproveitando a distração do adolescente, ele atirou duas vezes. Daniel morreu dentro da banca com dois tiros na cabeça. Ao ouvir os disparos, o outro assaltante, que estava na porta, fugiu. O proprietário também atirou contra ele, mas não o acertou. "Foi tudo muito rápido, Quando estava no último degrau da escada alcancei a arma e atirei. Em 20 anos que trabalho aqui já fui assaltado várias vezes e é por isso que agora ando precavido", disse o comerciante.

O comparsa de Daniel foi pego por policiais militares e reconhecido pelo proprietário da banca e por outro comerciante da região. Com Daniel os policiais encontraram um rolo de fita adesiva, que provavelmente seria usado para amordaçar o dono da banca. De acordo com o delegado Andrei Cordeiro, do 1.º Distrito Policial, o rapaz que foi detido em flagrante responderá por roubo. Já o comerciante que atirou irá responder pelo crime de homicídio em liberdade, uma vez que agiu em legítima defesa.