Foto: Átila Alberti

?Mineirinho? costumava dormir no boteco.

O vidro da janela quebrado indicou a trajetória do tiro, disparado do lado de fora do bar. Dentro do estabelecimento, o corpo do dono, José Rodrigues da Cruz, 56 anos, ficou estirado sobre um sofá.

O crime ocorreu provavelmente na noite de quarta-feira, em uma chácara na Rua Elísio Ferreira do Nascimento, no bairro Tanguá, em Almirante Tamandaré. Entretanto, o corpo só foi encontrado na tarde de ontem, pela esposa da vítima.

Maria Delair dos Santos, 50 anos, e o marido moravam e trabalhavam na chácara há 26 anos. Ela dormia em uma pequena casa e José passava a noite no boteco, construído no mesmo terreno. Por volta das 20h de quarta-feira, ele se despediu de Maria e foi para o bar.

?José não abriu as portas. Foi limpar e lavar a louça. Costumava dormir lá, porque tinha medo que alguém arrombasse o boteco e roubasse o que era nosso?, contou Maria.

Provavelmente, assim que entrou no estabelecimento o assassino o chamou no portão. Ele teria ido até a janela e do lado de fora o criminoso atirou. José morreu com um tiro na testa.

Demora

Maria estranhou a demora do marido e por volta das 15h de ontem foi até o bar. Ao abrir a porta o encontrou morto no sofá. ?Por que fizeram isso com ele? Estávamos tocando o bar para aumentar nossa renda e levantar a nossa vida! Como vou viver agora??, perguntava aos prantos.

De acordo com o cabo Souza, do 17.º Batalhão de Polícia Militar, o crime provavelmente foi motivado por vingança. Há 30 dias, assaltantes procuraram por José e lhe ofereceram um revólver. Como ele já tinha sido assaltado, comprou a arma com o intuito de se defender. No dia seguinte, os mesmo homens voltaram, lhe agrediram e levaram o revólver. ?José ameaçou denunciá-los na delegacia e, por isso, devem ter voltado. Sabemos que esses indivíduos são perigosos assaltantes da região?, contou o policial. As informações serão passadas à delegacia de Almirante Tamandaré, responsável pela investigação do caso.