David, morto com um balaço
nas costas, no Capão Raso.

Uma tocaia surpreendeu o ajudante de marceneiro David Alves, 18 anos. Ele voltava para casa quando dois homens apareceram – na Rua Laudelino Ferreira Lopes, esquina com Marechal Cândido Rondon, Parque Industrial, Capão Raso -, e sem dizer nada o atacaram a tiros. Um amigo que o acompanhava conseguiu fugir, mas David morreu na hora, às 23h de quinta-feira, atingido por um disparo nas costas.

A vítima morava na Vila Palmeira, Tatuquara, e segundo a irmã dele, Antônia, visitava conhecidos no Capão Raso. David teria ido buscar algumas roupas que seriam produto de furto. Foi atacado na volta, em companhia de um vizinho e amigo, de 16 anos.

A testemunha foi ouvida pela Delegacia de Homicídios e disse não conhecer os criminosos. O menor foi além e afirmou que David pode ter sido morto por engano, pois não tinha inimigos na região. Antônia, porém, declarou que o irmão teve passagem na polícia por furto, o que faz a Delegacia de Homicídios suspeitar que ele tenha sido vítima de um acerto de contas.