Policiais da delegacia de São José dos Pinhais apresentaram ontem os dois acusados do assassinato do comerciante Fernandes Cruz, 38 anos, crime ocorrido no dia 19 de maio. Marcelo da Silva Polli, 21 anos, e Cristiano Barbosa da Silva, 19, negam a participação no crime e afirmam que não conheciam a vítima. Os dois seriam ouvidos no início da noite de ontem por um promotor do Ministério Público (MP) e pelo delegado Vinicius Augustus. A vítima era protegida da Justiça e testemunha do MP em uma denúncia envolvendo 26 pessoas, inclusive policiais civis e militares. A polícia continua atrás de um terceiro envolvido no crime, identificado como Juliano Menacim, 23.

De acordo com o superintendente Altair Ferreira, os detidos também são suspeitos de participação em mais dois homicídios ocorridos em Curitiba, em que foram vítimas Leandro Pereira de Souza, morto no Bairro São Braz e Claudemir Santos, no bairro Mossunguê. Além disso, teriam baleado cinco jovens em um boliche, em Santa Felicidade.

Crime

Fernandes recebeu um telefonema em seu aparelho celular combinando um pedido de entrega de gás na Rua Paulo Adams Filho, localidade de Riacho Doce. Quando chegou ao local, foi executado. Porém, o número discado pelo assassino ficou gravado no celular de Fernandes que, por ele ser testemunha do MP, estava sendo monitorado. A partir desse fato, os investigadores da delegacia de São José dos Pinhais chegaram até a identidade de Marcelo e, posteriormente de seus comparsas. As fotografias dos suspeitos foram reconhecidas pelas testemunhas do crime. “A participação deles está materializada. As contas de telefone comprovam as ligações”, explicou o superintendente.

Marcelo e Cristiano foram presos segunda-feira à tarde, no Alto Marcanã, Colombo. Com eles estavam duas pistolas, calibre 380.