Fofocas de vizinhos e de parentes da ex-empregada doméstica de Eduardo Requião de Mello e Silva é que levaram o ex-superintendente do Porto de Paranaguá a descobrir que a doméstica havia furtado 180 mil dólares de seu apartamento, no primeiro semestre do ano passado.

O dinheiro, guardado em um compartimento secreto, no guarda-roupa do quarto do casal, foi encontrado por EQJ, 45 anos, que passou a subtrair as notas, trocá-las por real e adquirir bens móveis e imóveis, além de comprar presentes para toda a família.

Os vizinhos comentavam que EQJ tinha enriquecido da noite para o dia, e ela justificava o dinheiro extra como “gratificação” dada pelos patrões. Mas foi em uma festa de casamento, em Colombo, que os comentários chegaram aos ouvidos da zeladora Cristiane Bialli Kaminski, 27, funcionária da produtora de vídeo pertencente à mulher de Eduardo Requião, Ana Helena Mothé da Silva Duarte.

Cristiane é casada com um sobrinho do marido de EQJ e, na festa, onde muitos parentes estavam reunidos, tomou conhecimento das compras de casas, apartamentos, carros e caminhões, feitas pela doméstica.

Posteriormente levou estas informações para Eduardo Requião, que a princípio, achou que sua ex-empregada estava recendo dinheiro de alguma tramóia feita no Porto de Paranaguá, uma vez que tinha parentes que trabalhavam lá.

O investigador da Polícia Civil José César Bittencourt foi designado para fazer apurar a suspeita. Ele fez contatos com funcionários e motoristas que tinham parentesco ou amizade com a doméstica e concluiu que, pelo menos no porto, não havia nada de irregular.


No dia 25 de junho do ano passado, Cristiane trabalhava no escritório da patroa, quando a EQJ, o marido dela e um funcionário do Porto de Paranaguá aparecerem repentinamente.

Pressão

Revoltados, queriam tirar satisfações com a jovem, acusando-a de fazer “fofocas”, envolvendo o nome do funcionário do porto. Ele, inclusive a ameaçou, afirmando que iria procurar uma delegacia e registrar queixa contra ela, pois nada tinha a ver com enriquecimento ilícito.

Assustada, Cristiane revelou ao trio que tinha sido questionada por Eduardo Requião se sabia de alguma coisa “estranha” sobre a vida pessoal da doméstica. Ela lhe contou o que tinha ouvido na festa de casamento e isso desencadeou a investigação.

Dólares

Foi só depois deste “barraco” que “caiu a ficha” da mulher de Eduardo e ela resolveu contar os dólares que tinha escondido no guarda-roupa, enfim descobrindo o furto do dinheiro americano, cuja procedência a família Requião não explicou até agora.