As polícias Militar e Civil registraram mais um final de semana sangrento em Foz do Iguaçu. Entre a manhã de sexta-feira, 7, e a noite de ontem, 9, quatro pessoas morreram após serem crivadas de balas, disparadas por perigosos quadrilheiros. Um dos marginais foi preso em flagrante. A polícia buscas pistas dos outros criminosos, que estão foragidos.

Através de denúncia anônima, a PM encontrou o corpo de um homem, assassinado com vários tiros, em frente a uma casa da Rua Codorna, Portal da Foz. No local, alguns moradores disseram apenas ter ouvido disparos durante a madrugada, e afirmaram desconhecer os autores. O homem, conhecido pela alcunha de “Chiquinho”, foi levado ao Instituto Médico Legal.

Na manhã de sábado, a comprista Consuelo Rocio Moro, 29, teve morte cerebral após ser baleada durante uma tentativa de assalto ao grupo de sacoleiros do qual fazia parte. O crime aconteceu na Vila Portes, onde mais dois compristas também foram baleados. O Siate encaminhou os feridos à Santa Casa. A Polícia Civil prendeu um dos assaltantes, que foi reconhecido pelas vítimas (leia mais sobre o assunto no box desta página).

Fim de festa

O adolescente Isaias Nunes de Oliveira ainda comemorava os seus 14 anos (completados no sábado) quando caiu numa emboscada, perto das 15h de ontem, no Ouro Verde. Ele chegava em casa, na Alameda Cobre, e foi interceptado por criminosos, que pelas costas o crivaram de balas.

Segundo a polícia, o garoto não resistiu aos ferimentos, falecendo a poucos metros de sua residência. O caso está sendo investigado pelo Setor de Homicídios da 6a SDP, que procura pistas dos assassinos. Para a Polícia Civil, o crime tem características de vingança. Oliveira, conforme os investigadores, tinha passagens pela Delegacia Especial do Adolescente (DEA).

Duas horas depois, a polícia atendeu outro homicídio na periferia. Um homem, ainda não identificado, foi perseguido por atiradores, que ocupavam um Fiat 147. Ele tentou, em vão, escapar do bando, o qual o alvejou. Mesmo ferido, ele conseguiu correr alguns metros, entrou numa residência, que estava com a porta aberta, e saiu pela janela.

A vítima invadiu outra casa, mas desta vez os bandidos a alcançaram. Impiedosos, os marginais a executaram diante de testemunhas e arrastaram o corpo até o quintal do imóvel, localizado na Avenida Beira-Rio, Vila Arlindo.

A quadrilha de assassinos abandonou o carro e fugiu a pé. A autoria do crime é desconhecida. O IML levou o cadáver ao necrotério, onde, até o início da noite de ontem, permanecia sem identificação. (Fonte: A Gazeta do Iguaçu)