O empresário Jacir Medeiros, 36 anos, sócio do laboratório de tomografia do Hospital Ônix, foi assassinado com um tiro no peito, pouco antes das 14h de ontem, na Rua Vicente Machado, no Campina do Siqueira.

Ele tentou defender a esposa, que era assaltada. O crime aconteceu a poucos metros do hospital e médicos fizeram uma cirurgia na vítima, ainda na calçada, mas o empresário não resistiu.

Outro funcionário do hospital que estava com o empresário, também foi baleado, na perna, e internado sem gravidade. O assaltante fugiu no carro da esposa de Jacir, o Honda Civic placa APC-4429, encontrado abandonado, horas depois, em Araucária.

Testemunhas contaram que a esposa de Jacir estacionou o carro para se encontrar com o marido, a poucos metros da concessionária Gran Park, próximo à esquina com a Rua Maria Grodz.

“Quando a mulher desceu do veículo, o marginal atravessou a rua, caminhou em sua direção e deu voz de assalto”, disse o sargento Edis, do 12.º Batalhão da Polícia Militar. Assustada, a vítima jogou a chave do carro no chão.

Desespero

Ao perceber a aproximação do ladrão, Jacir, que estava acompanhado de Eduardo, gritou o nome da mulher. Na confusão, os dois correram na direção do marginal, que atirou.

A bala acertou o peito do empresário, próximo ao coração, e o mesmo projétil atingiu a coxa do funcionário. “A gente correu atrás do assaltante, mas ele estava armado”, disse Eduardo, que apesar de ferido conseguiu conversar com a imprensa. O bandido entrou no Honda Civic e fugiu.

Rapidamente, médicos do hospital correram para socorrer Jacir, caído na entrada da concessionária. Eles improvisaram uma mesa de cirurgia e operaram o peito do empresário.

O local foi cercado de curiosos, e o clima, que já estava tenso, ficou ainda mais angustiante, devido ao delicado estado de saúde da vítima. Apesar do esforço, Jacir não resistiu, para desespero da esposa e outros familiares. O corpo do empresário foi colocado numa ambulância do Siate e levado ao Hospital Evangélico, para onde também foi levado Eduardo.

A polícia procurou pelo marginal, que fugiu sentido Parque Barigüi, porém, não conseguiu encontrá-lo. Segundo testemunhas, o homem tem pele negra e cerca de 1,60 metro.

O Honda Civic foi encontrado no final da tarde, abandonado na Avenida Doutor Victor do Amaral, em Araucária. O latrocínio (roubo com morte) será investigado pela Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV).