Alceu foi encontrado onde morava
ultimamente: uma cabana no meio do mato.

O catador de papéis Alceu Ricardo Abdal, 54 anos, foi encontrado morto às 7h30 de sábado, em uma chácara na Rua João Gava, Pilarzinho, próximo à Ópera de Arame. Ele estava caído perto de uma cabana feita de madeira e coberta com lona preta.

Salvador Alves, amigo de Alceu, foi até a chácara para conversar e acabou deparando com o catador de papéis sem vida e avisou a Guarda Municipal. “Ele estava sempre aqui porque não tinha onde morar. O filho dele assassinou um rapaz e está preso em Piraquara. Por causa disso, quebraram a casa do Alceu e ele veio morar aqui. Mas era uma pessoa tranqüila”, contou Salvador. Ele disse que Alceu gostava de tomar cachaça e todas as manhãs saía de bicicleta para catar latinhas. “De vez em quando eu vinha aqui. Conversávamos sobre o passado e eu bebia com ele. Não acredito que ele foi vítima de assassinato. Acho que ele bebeu e escorregou quando foi entrar na cabana. É muito baixo e este local é muito liso”, comentou Salvador. O perito Carlos Henrique, do Instituto de Criminalística, informou que não percebeu nenhum sinal de violência nos primeiros exames. “Aparentemente foi morte natural, mas só poderemos precisar após os exames complementares, que serão feitos no Instituto Médico-Legal”, disse o perito.