Dois homens foram encontrados feridos com tiros na cabeça, na manhã de ontem, num matagal perto de uma ponte da Estrada Velha de Joinville, Campo Largo da Roseira, em São José dos Pinhais.

Quando socorristas do Siate chegaram ao local, encontraram Gilmar da Silva, 27 anos, morto. O outro baleado, de aproximadamente 40 anos, foi identificado apenas como Roberto e seria caminhoneiro.

Ele foi levado ao hospital Angelina Caron, no helicóptero da Polícia Rodoviária Federal (PRF). À tarde, um suspeito foi detido pela Polícia Militar, guiada por denúncia anônima.

De acordo com o guarda municipal Ledison, que atendeu à ocorrência, um caseiro disse ter ouvido seis tiros por volta das 4h30, mas as vítimas só foram encontradas por volta das 7h.

Gilmar estava morto no matagal, com crachá e uniforme de uma empresa de plásticos do bairro Planta São Marcos, e uma mochila. Próximo ao corpo, a polícia encontrou seis cápsulas, calibres 9 milímetros e 380, e uma munição de calibre 38.

Agonia

Roberto ficou agonizando por mais de duas horas com um tiro na cabeça. De acordo com o soldado Francisco, do Siate, a vítima estava inconsciente e respirava com dificuldade.

“Ele perdeu bastante massa encefálica”, contou. O trânsito nas duas pistas da estrada foi fechado para que o helicóptero da PRF pousasse. Após imobilizado pelo Siate, o baleado foi colocado na aeronave que decolou por volta das 9h50 com destino ao hospital.

Gilmar estava com crachá e uniforme de fábrica de plástico.

Mistério

Como Gilmar estava com documentos e pertences, a hipótese de latrocínio foi praticamente descartada por investigadores da delegacia de São José dos Pinhais, que acreditam em execução.

A motivação e autoria ainda são incógnitas. A polícia tenta descobrir qual a ligação entre as duas vítimas. Por enquanto, sabe-se apenas que Gilmar trabalha de abastecedor numa fábrica de plásticos, próximo do local do crime.

Por isso, o guarda municipal Robson acredita que ele estaria voltando do trabalho quando foi surpreendido pelos assassinos. Quanto Roberto, o guarda lembrou uma ocorrência em que a vítima teria se envolvido numa briga de bar na Planta São Marcos há quatro meses.