Um esquema de sonegação fiscal de combustíveis foi desmontado por policiais civis do Paraná e de Santa Catarina. Após seis meses de investigações, foram presas 15 pessoas, acusadas de integrar o grupo. A Operação Medusa ocorreu em três cidades paranaenses e seis de Santa Catarina. De acordo com a polícia, os acusados estavam envolvidos na venda de álcool sem o pagamento de impostos. Entre os presos estão empresários e auditores fiscais da Receita Estadual do Paraná. A Receita Estadual calcula que o grupo causou um prejuízo de R$ 50 milhões aos cofres públicos, por ano, já que os combustíveis são responsáveis por 22% de toda a arrecadação do Paraná.

As investigações começaram na Delegacia de Estelionato e Desvio de Cargas, que após recolher provas suficientes solicitou à Justiça a decretação dos mandados de prisão temporária e de busca e apreensão, que foram cumpridos em Curitiba, Araucária e Umuarama, com o apoio do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope) e do Nurce (Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos). Em Santa Catarina, policiais da DEIC (Diretoria Estadual de investigação Criminal) cumpriram as determinações judiciais, nas cidades de Rio do Sul, Itajaí, Balneário Camboriú, Navegantes e Apiuna. Também participaram dos trabalhos fiscais da Receita Estadual dos dois estados.