Todas as quartas-feiras, Cícero Leandro da Silva, 51 anos, retornava da igreja evangélica a pé para casa. Ontem, depois de passar cerca de duas horas no culto, seu trajeto foi interrompido à bala.

Ele estava a pouco mais de 60 metros de casa, quando foi assassinado com um tiro na cabeça e tombou com a Bíblia na mão. A polícia acredita que Cícero tenha reagido a uma tentativa de assalto.

O crime aconteceu por volta de 21h, na Rua Jorge Luiz Freygang, Vila Reno, Uberaba. Segundo o soldado Valmenir, do 20.º Batalhão da Polícia Militar, Cícero era metalúrgico e estava afastado do serviço. O motivo, ninguém  soube informar.

O cunhado da vítima foi o primeiro a saber da notícia  da morte. Os familiares chamaram o Siate, mas, quando a ambulância chegou ao local, Cícero já dava seus últimos suspiros.

Surpresa

O marceneiro Edson Camargo Santana, 39, que também frequenta a Congregação Cristã, chegou instantes depois à cena do crime. “Ele percorria a pé cerca de 500 metros até chegar em casa. Ia na igreja todas as quartas, sábados e domingos”, relatou.

Vizinhos da vítima contaram que Cícero era de Foz do Iguaçu, casado e pai de três filhos. Morava na rua onde foi morto há cerca de cinco anos. No entanto, nenhum morador soube informar quem teria sido o responsável pelo crime. “Só escutei os disparos e, quando saí de casa, encontrei o corpo no asfalto. Ele era um homem tranquilo”, disse Vera Cordeiro.

Policiais da Delegacia de Homicídios não conseguiram levantar muitas informações, no local do crime. “Ninguém viu nada, ninguém sabe nada”, contou o investigador Maurício.