Depois de 16 horas de julgamento, o Tribunal do Júri de Ibaiti condenou ontem o professor de escola estadual e ex-vereador Haroldo Caetano, considerando-o culpado pela morte da adolescente Izadora dos Santos Silva, 15 anos, ocorrida em 24 de fevereiro de 2000. Ela recebeu um tiro à queima-roupa, na cabeça.

A alegação da defesa, de que a jovem teria cometido suicídio, não foi aceita pelo Ministério Público, que interpretou como certo o assassinato da garota. Segundo a acusação, a adolescente era namorada de Caetano, que cometeu o crime por não aceitar o fim do relacionamento.

O ex-vereador e professor possui antecedentes criminais, e por isso a promotoria estuda se recorrerá da decisão do júri para tentar aumentar a pena. Atuaram no julgamento a promotora substituta Aletéia de Andrade e o promotor de Justiça Paulo Markowicz de Lima, do Centro de Apoio das Promotorias do Júri. Representaram o réu, os advogados Alex Frezzato e Helder Gonçalves Dias Rodrigues. A defesa ainda não se manifestou se pretende recorrer da decisão.