A adolescente Emanuelle Jackowski (foto), de 16 anos, encontrada morta no balneário de Santa Terezinha, em Pontal do Paraná, na semana passada, sofreu violência sexual. A informação foi confirmada pelo delegado Messias Antônio da Rosa. Três suspeitos foram identificados e encaminhados para exames no Instituto Médico-Legal (IML) de Curitiba. Um deles é o padrasto da menina, os outros são rapazes que dançavam em um grupo frequentado por ela.

“O material genético deles será coletado para confrontar com o esperma encontrado na vítima. O estupro parece não ter acontecido no terreno onde ela foi encontrada, mas ainda há dúvidas sobre o local da morte”, contou Messias. O resultado dos exames deve sair em até um mês, antes da conclusão do inquérito. Os rapazes do grupo de dança, pelo menos dez anos mais velhos que a vítima, tiveram relacionamentos amorosos com Emanuelle. Não há indícios de envolvimento do padrasto, mas ele foi elencado como suspeito por ter antecedentes criminais.

Bilhete

A polícia pediu exames de grafologia também de familiares e amigos da jovem, para verificar quem escreveu uma mensagem no caderno da adolescente. A mensagem “você pode trair uma amiga” vem seguida de diversos xingamentos. “É possível que o bilhete tenha sido escrito para enganar a polícia”, explicou. Com base no bilhete, a polícia acredita que o crime possa ter sido motivado por ciúmes ou vingança.

O celular da vítima não acrescentou novidades à investigação. Emanuelle foi encontrada morta por enforcamento, em um terreno próximo de sua casa, na quinta-feira.