Mesmo com os conselhos dos filhos adolescentes, o lixador de tacos Jair de Souza Filho, 39 anos, não conseguiu deixar o vício no crack. Às 22h de quarta-feira, ele foi assassinado com um tiro na cabeça, em uma parte escura da Rua Felício Falavinha, bem próximo da BR-116, na Vila Zumbi dos Palmares, em Colombo.

Casado e pai de dois filhos, Jair era dependente químico há mais de 20 anos, mas foi quando conheceu o crack que a rotina da família começou a mudar. A irmã disse que ele era um homem trabalhador, saía cedo de casa e, quando voltava, costumava ir à rua escura para consumir a droga.

Ajuda

“A gente sempre falava pra ele tentar largar o vício e até os dois filhos adolescentes, que viviam o problema dentro de casa, sempre pediam para que ele procurasse ajuda”, contou a irmã.

Ela disse que não ficou surpresa com a morte de Jair. “A gente fica triste, mas de certa forma, já esperávamos por uma notícia ruim uma hora ou outra.” Para o tenente Marcelo Freitas, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, o homem ser viciado em drogas dá indicativos do motivo do crime. “Ao lado do corpo havia uma máquina fotográfica e um copo com bebida alcoólica.”