Isso é por você ser ?cagüeta?, foi a última frase ouvida por Mauro Sérgio Peres, 33 anos, antes dos tiros que tiraram sua vida, às 23h40 de segunda-feira. Do banheiro, sua mulher, que protegia os dois filhos do casal, escutava à execução do marido. O crime foi cometido no quarto da residência de fundos, do número 43 da Rua Homero Alves da Silva, na Moradias Araçá, Alto Boqueirão.

Os bandidos fugiram sem serem vistos pela mulher ou pelos moradores da casa da frente. Antes de ser morto, Mauro atendeu algumas pessoas que o chamaram ao portão. Logo depois de voltar para dentro de casa vieram os tiros. O primeiro foi dado ainda do corredor que leva à casa. ?Seriam três pessoas que participaram do crime?, comentou o tenente Scherer, do Regimento de Polícia Montada.

Arrombamento

Enquanto um dos bandidos permanecia no corredor, dois arrebentavam a porta da casa a pontapés. Ao som do primeiro disparo, a mulher de Mauro e as duas crianças, de 7 e 1 ano e meio, se esconderam no banheiro. O homem, por sua vez, tentou salvar a vida trancando-se no quarto. A porta também foi arrombada e Mauro não teve saída. Foi executado com cerca de cinco tiros, que o atingiram no pescoço, peito e cabeça.

Os investigadores Júnior e Emerson, da Delegacia de Homicídios colheram as primeiras informações para tentar desvendar o caso. Ainda não se sabe quem Mauro teria delatado. A mulher comentou apenas que um amigo dele teria sido preso há alguns meses.