O duplo homicídio que aconteceu por volta de 1h35 de ontem, na Rua João Alfredo Jobbins, Cidade Industrial de Curitiba, pode ser mais um crime relacionado com o tráfico de drogas.

Ao lado dos corpos de Dario Guimarães Pierobom, 40 anos, e Agnaldo Beseke, 42, foram encontradas, além de seis cápsulas de calibre 380, garrafas de bebida e um cachimbo utilizado para fumar crack.

Segundo o boletim registrado pelos investigadores da Delegacia de Homicídios, pouco depois de 1h, o Siate foi chamando para atender duas pessoas feridas a tiros. Quando chegou no local, encontraram ambos mortos, cada um com quatro tiros.

Vício

Segundo os familiares de Dario, ele trabalhava em uma empresa terceirizada na Petrobras, em Araucária , e era viciado em drogas há mais de 20 anos. “Ele sempre fumou maconha, mas há uns oito anos conheceu o crack e nesse tempo viveu lutando contra o vício”, contou uma conhecida dele.

Segundo ela, ele ganhava muito bem, mas boa parte do salário gastava pagando traficantes. “Ele era uma vítima. Não acredito que tenha morrido por estar devendo, pois a família nunca deixou que isso acontecesse”, completou.

Familiares de Agnaldo confirmaram sua dependência química e não souberam dizer se ele estava devendo alguma coisa ou sendo ameaçado. Para eles, os dois rapazes foram mortos porque estavam no lugar errado.