Paulo César Kluger.

Intitulando-se advogado, Paulo César Kluger, 36 anos, angariava clientes e cobrava por serviços que não tinha como realizar. A farsa foi descoberta por policiais do 7.º Distrito (Vila Hauer), que prenderam o acusado em flagrante por falsidade ideológica e extorsão.

O delegado Hamilton Cordeiro da Paz, titular do distrito, disse que um dos clientes do falso advogado desconfiou que estava sendo enganado, devido à demora de seu processo de separação e à quantia em dinheiro exigida por Kluger. Diante da suspeita, a vítima procurou o distrito. Para se certificar da situação, o delegado pediu que um dos investigadores do distrito acompanhasse a vítima no encontro marcado com o suposto advogado. "Ele estava usando uma guia de recolhimento para se apropriar do dinheiro da vítima. Porém, nunca recolheu o dinheiro nem ingressou com a ação", contou o delegado.

Ele disse que a vítima e sua ex-esposa haviam contratado Kruger para ingressar na Justiça com um processo de separação e partilha de bens. "Ele tentou levar vantagem financeira para dar prosseguimento ao processo de separação do casal, que na verdade nunca existiu", comentou Hamilton. Com o falsário foram encontrados vários documentos da vítima, do pai dela, além do levantamento de bens da família, segundo a polícia.

Prisão

Com a comprovação de que Kruger não era advogado, o policial deu voz de prisão a ele. "Só então ele confessou que o processo nunca existiu", relatou o delegado. "Acreditamos que este falso advogado lesou diversas pessoas, já que conta com antecedentes criminais por estelionato e apropriação indébita. Continuamos as investigações para apurar se outras pessoas foram vítimas do Kruger", afirmou Hamilton. Ele solicitou às pessoas que foram lesadas pelo falsário que entrem em contato com o distrito pelo telefone 3376-1055.