Acusados de receptar cargas roubadas pela quadrilha de Ivanildo Sitorski desmantelada esta semana, os irmãos Elizabetha Catarina Franz Zanella, 51 anos ( mãe de Rafael Zanella, assassinado em 1988), Paulo Eugênio Franz, 56, e João Carlos Franz, 48, foram apanhados por policiais do Centro de Operações Especiais (Cope). Com os irmãos, a polícia apreendeu 30 caixas de cigarros roubados, R$ 20.800,00 em cheques e R$ 7.600,00 em dinheiro. Com Paulo foi encontrada uma pistola calibre 380 e cinco colchões tipo box, também roubados. Ele foi autuado por porte ilegal de arma, formação de quadrilha e receptação. Elizabetha e João irão responder por receptação.

O delegado Marco Antônio Góes informou que Paulo comprou 240 caixas de cigarros roubados pela quadrilha de Sitorski, no dia 14 de junho, pagando R$ 22 mil, deixando pendentes R$ 103 mil. "Foi o Ivanildo quem entregou o receptador, após ser preso", relatou o delegado.

Apreensões

Ontem pela manhã, os policiais foram até a casa de Paulo, onde encontraram a arma e 19 caixas de cigarros, além de diversos cheques e o dinheiro. Entre os cheques, estavam alguns da empresa Potiguara Comércio e Gêneros Alimentícios Ltda., situada em Santa Felicidade. Após prender Paulo, os policiais foram até a distribuidora. No local estava João, que no momento da abordagem telefonou para a irmã Elizabetha, de quem é sócio. Ao vistoriarem a empresa, os policiais recolheram 26 caixas, das quais seis eram roubadas. "O restante era lícito e já foi devolvido", explicou o delegado Marco Antônio. Na casa de Elizabetha, também em Santa Felicidade, estavam outras cinco caixas de cigarros.

De acordo com o delegado, Paulo tinha ligação direta com Ivanildo, sendo um dos principais receptadores das cargas de cigarros roubadas. "Ele comprava e revendia para diversos comerciantes, entre eles seus próprios irmãos. Já identificamos outros compradores menores, devido aos valores dos cheques, mas que também irão responder por receptação", salientou o delegado. Ele contou que Paulo já tem antecedente criminal pela Polícia Federal, em Rondônia.

Marco Antônio informou que as investigações continuam no sentido de prender Antônio Valdir Lourenço dos Santos, mais conhecido como "Beca" ou "Juninho", 26 anos, que ainda está foragido. "Também vamos apurar se há outros envolvidos", ressaltou.

Prisões

Na segunda-feira, policiais do Cope prenderam Ivanildo Sitorski, 40; a mulher dele, Márcia Maria Vanucci, 37; Josias Mendes de Oliveira, 25, e Ronaldo Bernardon, 23. O filho de Ivanildo e Márcia – de 17 anos – foi apreendido. Na noite do mesmo dia, Fábio Henrique Vinhas Stropano, o "Ananias", 17 anos, foi morto em confronto com os policiais.

Empresária é conhecida pelo drama familiar

Elizabetha Catarina Franz Zanella ficou conhecida após seu filho – o estudante Rafael Zanella – ter sido executado por policiais do 12.º Distrito (Santa Felicidade), em uma desastrosa ação policial, que aconteceu na madrugada do dia 28 de maio de 1998. Desde então, ela começou a procurar à imprensa para denunciar uma escandalosa armação para justificar o assassinato de Rafael – policiais colocaram uma arma e maconha junto do rapaz, para incriminá-lo – e também pressionar autoridades para que todos os envolvidos fossem punidos.

Na época, o garoto foi abordado pelos policias que faziam uma investigação sobre tráfico de drogas, no Jardim Pinheiro, em Santa Felicidade, mas um dos participantes da ação -que não era policial civil – acabou atirando acidentalmente em Rafael. Com intuito de encobrir o ?erro?, os policiais simularam que o rapaz estava armado, colocando um revólver em sua mão, e ainda maconha em sua cueca. A farsa foi descoberta e os policiais afastados, sendo que alguns dos acusados já foram condenados e cumprem pena em regime fechado.