A noite de sábado e a madrugada de ontem foram marcadas pela violência em três municípios da região metropolitana, diferente de Curitiba, que não registrou nenhum caso de assassinato no mesmo período. Em Piraquara, dois homens foram mortos a tiros em ocorrências distintas, no Guarituba e no Jardim Holandês. Em Campo Largo, uma churrascada no bairro Ferraria foi interrompida a tiros e três pessoas foram baleadas. Uma garota de 15 anos morreu. Houve ainda uma tentativa de homicídio, em Pinhais, onde uma mulher foi baleada ao fugir de assaltantes, no bairro Emiliano Perneta.

Piraquara

Por volta das 23h30 de sábado, Edilson Celestino de Aguiar, 36 anos, foi assassinado com dois tiros na cabeça, na Rua Tulipas, Guarituba. A Polícia Militar conseguiu levantar poucas informações. Familiares comentaram que Edilson era trabalhador, mas que tinha um problema que poderia o levar à morte: o vício pelas drogas. A irmã dele comentou que o rapaz devia R$ 10,00 a um traficante, por duas pedras de crack. Este, suspeita a família, seria o único motivo aparente para o assassinato.

Também na noite de sábado, o auxiliar de produção Clayton Aparecido de Souza, 24, saiu de casa a convite de um amigo e não mais retornou. De acordo com o que foi apurado, o rapaz seguiu até a localidade de Águas Claras, próximo ao Baile do Pato, e a partir daí, ninguém sabe ao certo o que aconteceu. Mais tarde, familiares do rapaz foram avisados que ele havia sido baleado e morreu.

As primeiras informações dão conta de que Clayton chegou a um bar na região e, tão logo entrou, foi atingido por tiros. Foi levado de carro por amigas, ao pronto socorro 24 horas de Pinhais, mas morreu no trajeto. O amigo que teria feito o convite a Clayton não foi localizado e os parentes desconhecem o motivo do crime. Disseram apenas que a vítima se tratava de um rapaz trabalhador e sem inimigos.