João Carlos morreu e a mãe
dele foi baleada na perna.

Quando se aproximava do orelhão, João Carlos da Cruz Rosa, 17 anos, foi executado por desconhecidos que ocupavam um carro preto, provavelmente um Golf, às 22h15 de terça-feira, na Rua Dari Vargas, Jardim Itatiaia, CIC. A meia quadra de lá, sua mãe, Roseli da Cruz, 39, grávida de 6 meses, foi baleada na perna pelas mesmas pessoas. Cartuchos de pistolas calibres 380 e 45 indicaram o armamento pesado usado pelos assassinos.

João, o pai da vítima, contou que estava sentado com a mulher, em frente à residência, na Rua Cidade de Campos Novos, perto da esquina com a Rua Dari Vargas. Ele viu o carro passar duas vezes e entrar na rua onde seu filho tinha ido. “Só escutei os tiros. Depois, da esquina, atiraram em nossa direção e balearam minha mulher”, relatou. Roseli foi atendida pelo Siate e levada ao pronto-socorro do Hospital do Trabalhador. Uma testemunha disse ter visto três homens encapuzados dentro do veículo, mas não soube dar melhores detalhes.

Drogas

A ocorrência foi atendida pelo sargento Da Silva e soldados Gilberto e Demenchuki, do 13.º Batalhão da PM. “Só nos contaram que um Golf passou e os ocupantes atiraram contra a vítima, sem sair do veículo”, relatou o sargento. O garoto foi atingido na boca e no rosto, conforme avaliação preliminar da perita Solange, da Polícia Científica.

O superintendente Miguel Gumiero, da DH, acredita que o crime tenha relação com a morte de Luciana Moura, ocorrida em 8 de setembro, a uma quadra do local do assassinato de anteontem. Na mesma ocasião, foi baleado Marco Aurélio Karvati, conhecido como “Pablo” – que por sua vez é acusado de matar Sebastiana Aparecida Makin de Almeida da Silva, 33 anos, e atirar no marido dela, Roberto Santana da Silva, 38, três dias antes. “Roseli e o filho têm envolvimento com o tráfico. Todos esses crimes, aliás, estão relacionados ao comércio de drogas”, afirma Gumiero.