Foto: Átila Alberti/O Estado

Depois do fogo controlado, hora de tentar arrumar a bagunça.

A faísca do motor de uma empilhadeira pode ter resultado no incêndio que destruiu parte da empresa Rubbernew, especializada em remoldagem de pneus. O fogo começou por volta das 14h30 de ontem e foi controlado horas depois, pelos bombeiros.

A fábrica fica na Rua Senegal, na Vila Palmital, em Pinhais.

O incêndio começou no setor de colagem da empresa.

De acordo com o funcionário Maicon Rosário Tetzlaff, 20 anos, contratado há três meses, ele e um colega estavam no local, onde havia solvente derramado pelo chão. Uma empilhadeira passou e a faísca do motor causou a explosão, provocando o incêndio. Maicon teve queimaduras leves, mas o amigo dele, em estado mais grave, foi levado por socorristas do Siate ao Hospital Evangélico.

Cerca de 50 funcionários estavam na fábrica quando as chamas se alastraram. De acordo com o capitão Adriano Mello, do Corpo de Bombeiros, eles agiram rápido e ajudaram a controlar o fogo, usando máscaras e outros equipamentos.

As chamas consumiram cerca de 500m dos 3 mil metros quadrados da empresa, queimando caixas de papelão e borracha. Depois de apagar os focos do incêndio, os funcionários se uniram para salvar parte do estoque que estava intacto e ajudar a retirar os estulhos.

Por volta das 17h30, os bombeiros trabalhavam apenas para resfriar os três tonéis, com 2 mil litros de produtos inflamáveis, que não foram atingidos pelas chamas. O medo era de que pudesse ocorrer uma explosão ainda maior. Vinte bombeiros foram destacados e 50 mil litros de água foram usados. A causa do incêndio deverá ser confirmada nos próximos 30 dias, com a emissão do laudo da perícia.