O antigo prédio que abrigava o fórum de Rio Branco do Sul pegou fogo na noite de segunda-feira. Desativado há alguns anos, o edifício histórico teve o teto e algumas peças totalmente destruídos. O estrago só não foi maior pela ação da Comissão Municipal de Defesa Civil e das polícias Militar e Civil, que contaram com a ajuda da Brigada de Incêndios da Votoran e da população local.

A primeira hipótese para a causa do incêndio é que algum desocupado tenha ateado fogo, propositalmente ou por acidente. “Já fomos acionados várias vezes para afastar invasores daqui”, comentou o soldado Medeiros, do 17.º Batalhão da PM, que atendeu a ocorrência junto com o soldado Araújo. Eles perceberam janelas quebradas no cômodo onde teria começado o fogo.

Conjunto

O agente de defesa civil Evandro César Machado, bombeiro voluntário, começou o combate às chamas até que o Corpo de Bombeiros de Curitiba, chegasse ao local. “Contamos com o apoio da brigada de emergência da Votoran e da ajuda da população”, disse, depois que o reforço iniciava seu trabalho.

Evandro contou que, como a cidade não possui Corpo de Bombeiros, a Comissão Municipal de Defesa Civil, também treinada para outros tipos acidentes, entra em ação assim que solicitada. “Como não temos equipamentos, recorremos à empresas da iniciativa privada”, contou. Segundo ele, a comissão existe há cerca de dois anos, mas só agora está se estruturando para atender a comunidade.

A Defesa Civil Estadual têm realizado reuniões com membros das comissões municipais ou criando-as em algumas cidades. A expectativa é que até o fim do ano todos os municípios tenham sua comissão.

O delegado Agenor Salgado, chefe da Divisão de Polícia Metropolitana, informou que o delegado de rio Branco do Sul, Artem Dach, instaurou inquérito policial para apurar as causas do incêndio. “A linha de investigação vai delinear se o incêndio foi criminoso ou acidental”, argumentou o delegado.