Alberto Melnechuki
Chamas consumiram o
escritório e demais dependências.

Os funcionários da Serraria Pianaro, no centro de Campo Largo, terminaram o expediente sem imaginar que não teriam onde trabalhar no dia seguinte. Cerca de uma hora depois, por volta das 20h30, a construção, com cerca de 1.300 m2, se transformou em uma enorme e assustadora fogueira, que reuniu dezenas de pessoas da vizinhança.

Os bombeiros conseguiram isolar o incêndio, impedindo que as labaredas se alastrassem para casas vizinhas e depósitos de madeira a céu aberto. Mesmo assim, o prejuízo foi grande. O fogo destruiu completamente máquinas, carregamento de caixas, o escritório e o depósito interno. Um caminhão, que recém fora carregado, e estava na garagem do prédio, também foi consumido pelas chamas. Acredita-se que o incêndio tenha iniciado no setor de pintura, que abrigava vernizes e outros produtos inflamáveis.

Trabalho

Emígdio Pianaro Júnior, um dos sócios da empresa, assistia ao trabalho dos bombeiros. "Não dá para calcular o prejuízo", disse, comentando que o sinistro comprometeu uma entrega de embalagens de madeira, programada para o início da próxima semana. A serraria está instalada na cidade há mais de 50 anos e, de acordo com Emígdio, nunca havia sofrido um sinistro dessa natureza. "Várias gerações da nossa família trabalharam aqui", completou.

O trabalho dos bombeiros avançou na madrugada. Depois de isoladas as construções vizinhas, o combate às chamas foi demorado.