Alberto Melnechuky
Aparecido morreu
ao defender a filha.

Cleverson Gonçalves Raizel, 24 anos, foi buscar a ex-amásia em São José dos Pinhais, e deixou a dor para a família da mulher. Ele é acusado de ter atirado contra o ex-sogro, Aparecido Bispo dos Santos, 44 anos, às 18h30 de ontem, matando-o em frente à residência, na Rua Sebastiana Laura de Souza, Jardim Itatiaia.

O crime foi "anunciado" pela manhã, quando Cleverson, vindo de Cascavel, foi até a casa de Aparecido e pediu para levar a ex-mulher. Ela teria se recusado a acompanhá-lo, pois já estaria em outro relacionamento.

Aparecido apoiou a decisão da filha e não permitiu que ela fosse tirada de casa.

Contrariado, Cleverson abriu a jaqueta e mostrou os dois revólveres calibre 38, que levava na cinta. "Antes de ir embora ele atirou duas ou três vezes para cima", contou o soldado Bérgamo, do 17.º Batalhão da Polícia Militar.

Tiro

A família de Aparecido pensava que tudo havia se resolvido. Porém, no fim da tarde, Cleverson retornou. Conforme relatado aos policiais, Aparecido, que era dono de um bar, saiu do estabelecimento e foi ao encontro do ex-genro. Os dois teriam discutido e, em seguida, ouviram-se os estampidos. Aparecido morreu com um disparo no peito.