Alberto Melnechuky
Maicon foi perseguido e executado.

O assassino de Maicon Fernando de Oliveira, 17 anos, perseguiu o adolescente pela Rua Pardal, Jardim Cláudia, em Pinhais, até um boteco. Lá, acertou dois tiros no garoto, que morreu atrás do balcão, por volta das 20h45 de terça-feira. A mãe de Maicon contou aos soldados Laércio e Emerson, do 17.º Batalhão da Polícia Militar, que o filho era usuário de drogas, o que pode ser uma das pistas sobre o motivo do assassinato. Maicon também teria passagens pela polícia. Ele morava a cerca de duas quadras de onde foi morto.

De acordo com o que foi apurado pelos PMs, o adolescente chegou correndo dentro do boteco. ?As pessoas ouviram quatro tiros?, comentou Laércio. Porém, conforme levantamento preliminar do perito Alcebíades, da Polícia Científica, dois projéteis atingiram a vítima. Um o atingiu nas costas e outro na testa, provavelmente dado quando Maicon já estava caído.

O dono do bar relatou aos policiais militares que não conseguiu ver o rosto de quem atirou no adolescente. ?Na hora dos tiros ele correu para fora do bar e se refugiou em uma casa vizinha. Os freqüentadores sumiram do local?, lamentou Laércio.