Dois dias se passaram e ninguém apareceu no necrotério do Instituto Médico-Legal para tentar identificar o corpo da garota encontrada morta na manhã de sábado, em São José dos Pinhais.

Várias outras pessoas que possuem familiares desaparecidos no interior do Estado e no Litoral, entretanto, fizeram contato com a delegacia de São José dos Pinhais, ontem, acreditando que a menina pode ser a pessoa que procuram.

Ela possuía uma tatuagem no braço direito com o nome “Silvana”, sendo esta única pista que a polícia dispõe até agora para tentar identificar o cadáver. A menina, que não aparentava ter mais de 15 anos, foi encontrada numa estrada de chão na Rua Estefano Woicikievisz, bairro Rio Pequeno, área rural do município.

Análise preliminar do IML apurou que a jovem morreu estrangulada com o uso de um cordão e não sofreu violência sexual. Por não haver indícios de luta corporal próximo ao ponto onde o cadáver foi localizado, a polícia acredita que ela foi morta em outro local e teve o corpo abandonado na estrada. 

“É de suma importância descobrir a identificação da menina para podermos traçar uma linha de investigação”, disse o delegado Gil Tesseroli,. A vítima tinha cabelos castanhos ondulados, olhos castanhos e vestia camiseta de algodão branca e calça jeans.